Cistite: emoções inflamadas – Parte 1

0 Flares Filament.io Made with Flare More Info'> 0 Flares ×

Começo meu livro contando que confundi a candidíase com uma infecção urinária. Algumas pessoas que estão me ajudando com o lançamento vieram me perguntar mais sobre “o meu karma” com a infecção urinária. Vou contar a  história de como me curei de mais um problema crônico que eu tive.

Desde criancinha, eu tinha constantemente cistite. Vale lembrar que com quatro anos tive um pólipo na bexiga que nenhum médico sabia diagnosticar, e através de uma cirurgia espiritual, ele desapareceu. Entre 2004 e 2006 vivi mudanças muito intensas na minha vida. Relacionamentos, trabalho e casa. Assim, constantemente eu estava precisando de antibióticos para uma infecção urinária.

c5ff0482da247b30ddb3c2ca755f0063

Se a sua compaixão não inclui você mesmo, ela está incompleta.

Eu lia muito a respeito das causas emocionais, mas não sabia como traduzir tudo aquilo para as minhas emoções e formas de pensamentos que eram a origem do problema. Quando não deixamos as situações da vida fluir em seu fluxo, seguramos emoções. Guardamos mágoas. Seguramos o choro. A água representa nossas emoções (na astrologia inclusive). A bexiga é o órgão que retém a água que o nosso corpo não usará, então representa o “suportar”. Subscrevo uma curta descrição da Cristina Cairo no livro Linguagem do Corpo sobre a cistite:

“Significa que a pessoa está inflamada em suas emoções, devido a acontecimentos que ela não consegue mudar e que estão forçando a segurar o que ela precisa soltar. Para ela, a dor de ter de soltar o que não quer perder, ou o medo de continuar, a faz sentir fortes dores quando solta a urina.”

632a535421f719dcad273244bb46b724

Busque se conhecer e entender seu corpo. Livros e sites sobre os meridianos, pontos do corpo da acupuntura, reflexologia… tudo está conectado.

Eu lia  e relia isso, e mesmo assim não conseguia me entender com as minhas emoções. Até que um belo dia, em uma época que eu tinha infecção urinária a cada 15 dias, fui em um urologista e nos exames descobrimos um novo pólipo (início de um tumor na minha bexiga). No susto de que em 5 dias eu teria que fazer todos os exames para já marcarmos a cirurgia, minha mãe e eu recorremos a tudo que sabíamos: chás, reike, radiestesia, florais e meditação de “eu amo meu corpinho”(para quem quiser saber mais aconselho as meditações de Louise Hay – tem várias no youtube). Quatro dias depois, fui fazer os exames e não havia mais pólipo nenhum. Naquele dia, santo dia, me jurei que me entenderia com as minhas emoções e bexiga de uma vez por todas.

Para previnir a cistite, o médico me receitou: 2 litros de água diários, diariamente pílulas de cranberry (frutinha que fortalece o sistema urinário), nunca segurar o xixi e fazer xixi após toda relação sexual. Quem me conhece sabe que é absurdo o que eu tomo de água por dia. Pois é, foi neste dia a beber os baldes de água para nunca mais parar.

79dcb5d0d40f123554bc876e4d2ee0dc

A cura de tudo está na água salgada: suor, lágrimas ou oceano.

Seis meses depois, em um final de semana, fui a uma festinha e encontrei dois rapazes que ficavam respectivamente com duas amigas minhas. Elas tinham ido viajar e para a minha surpresa, os dois estavam na mesma festa que eu e, para uma surpresa maior ainda, com duas outras meninas. Lembro que quando eu os vi eu só queria chorar. Saí correndo para o banheiro e pirando com o que eu faria naquela situação. Se contava ou não para as meninas, se brigava com eles e etc. Me acalmei, chorei e voltei para festa.  Quando eu já tinha decidido curtir a festa e pensar sobre isto só no dia seguinte, fui ao banheiro e pá! Dorzinha de cistite. Respirei! E pensei:

– Você está fazendo tudo certo, seguindo as receitas do médico! Agora é se entender com suas emoções. Você não é as suas amigas. Não é você que está ficando com eles. Tanto faz a decisão que você tomará, nada disto implicará na sua vida. Relaxe! Solte esta mágoa, solte esta dor…. ela não é sua.

87f0e4e37e7e43a583c5193dd2c914d5

Você tem o poder de se curar e precisa saber disto. Muitas vezes pensamos que estamos desamparados, mas não estamos. Nós sempre temos o poder da nossa mente. Reivindique e conscientemente use o seu poder.

Na segunda-feira seguinte falei sobre isso com a minha psicóloga (de fenomenologia). Nós desenvolvemos sobre como as minhas formas de pensamento e emoções influenciavam a minha bexiga. E assim, ao aprender a identificar “pensamentos e emoções” no ato, nunca, repito NUN-CA mais tive cistite (e isto faz 9 anos).

Desde então, busquei me aprofundar no autoconhecimento porque descobri, no meu corpo e na minha vida, o quanto está em nós o poder da nossa saúde. Quantas doenças originam do estresse? Estresse não é nada além de uma cabeça pensante demais. A meditação, relaxamento e o cuidado com o corpo (pode ser uma massagem, um banho de banheira, um exercício físico) são imprescindíveis para sairmos do limbo metal. E certamente, o respirar é a chave de ouro para tudo.

Amo um ensinamento de Eckhart Tolle que diz:

Para você estar 100% presente no momento e sair das aflições da sua mente faça 3 respirações, inspirando e expirando da forma mais lenta que conseguir. Isso dá uma oxigenada boa no cérebro e te traz de volta ao seu corpo e à vida real. Quanto mais fizer isto no cotidiano, mais manterá sua mente calma. Inclua o costume desta respiração em atividades diárias, como por exemplo: cada vez que eu fechar a porta de casa. Acho que esta dica é um bom começo para nos tornar mais conscientes de nossas emoções, nossos pensamentos e consequentemente, de nossa vida e saúde.

Tenham em mente que nós precisamos nos amar e para isso, precisamos também abraçar as nossas aflições. Só podemos transformar algo quando aceitamos a existência dele. Muitas vezes este algo pode ser pensamentos tóxicos. Mas tudo bem. Reconheça-os, leve amor e compreensão a eles, e assim, se cure.

*** Após tantos emails, escrevi também “Cistite: Emoções Inflamadas – Parte 2“.

0 Flares Facebook 0 Email -- Filament.io Made with Flare More Info'> 0 Flares ×

47 thoughts on “Cistite: emoções inflamadas – Parte 1

  1. Eu amei essa explicação é experiência referente a infecção urinária. Eu tenho muito inclusive agora estou passando no momento muito dificil e diagnósticado um tumor na Bexiga. Gostaria de mais informações e ajuda. Obrigada

    • Thais!
      Muito obrigada!
      Há diversas alternativas que não na medicina comum. Já tive um tumor na bexiga também e curei “misteriosamente” com chás, dietas, energias, meditações e etc. Te aconselho buscar autoras como Cristina Cairo e Louise Hay. Elas são as melhores sobre “como as nossas emoções se manifestam em nosso corpo”. Tenho certeza que se conscientizando e se amando, logo você estará ótima. Boa sorte. Beijão

      • Eu também estou passando por algumas dificuldades em minha vida, depois de ler esse artigo, pude perceber como o meu sentimento influência na minha saúde. Eu nunca tive problemas com infecções urinárias, mas com o psicológico afetado, acabei desencadeando. Sempre fui de ler artigos sobre como nosso corpo fala, através das doenças. Tenho aprendido muito através disto. Mas esse em especifico, me mostrou uma luz muito grande. Justamente por não sofrer com essas questões. Queria retribuir e dizer que você me ajudou bastante. Obrigada.

        • Querida Angelina! São mensagens como essas que me inspiram escrever mais e mais. Muitas vezes livros trazem conceitos, mas a nossa ficha só cai quando nos identificamos com a história similar a nossa. Fico muito lisonjeada. Força. Silencie e se permita ouvir seus sons e emoções internos que você se curará! beijo grande e muito obrigada

    • Boa tarde THAIS MELLO CONDE, tive tbm infecção urinária repetidas vezes, 4 anos de tratamento…..e foi qdo meu emocional se estabilizou q as infecções cessaram. procure por uma terapia chamada osteopatia.
      Toda doença está relacionada ao nosso emocional.

  2. Helena.

    Gratidão pela sua explicação, estou acordada às 3h e pouco da manhã, sem conseguir dormir por uma infecção urinária, pelo menos tudo indica que é. Aí comecei a procurar algo sobre isso e encontrei vc com essa explicação maravilhosa. Além do fato de eu admirar demais a Cristina Cairo consegui pelo seu texto entender o que está me causando isso emocionalmente, essa semana passei por uma situação de suportar algo, de não falar, de guardar e ficar triste, fiquei com muita vontade de chorar mas me segurei firme. Agora lendo isso as coisas se encaixam muito. Como pode o nosso corpo nos responder tão claramente neh?!
    Bom, já tomei remédio mas com certeza farei uma meditação interna para me entender e me perdoar por isso.

    Obrigada querida.
    Abraços.

    • Alessandra, me emocionei com seu comentário. Uma sensação de: valeu a pena ter sofrido todas minhas cistites para me entender e poder dar uma luz mesmo a outras pessoas. Obrigada pela generosidade de suas palavras. Isso! Aceite suas emoções, assista elas como assistiria a uma criança de três anos. `As vezes é birra nossa, às vezes não. E não importa na verdade. O que importa é nos assistirmos e só conseguimos fazer isso silenciando, percebendo o que sentimos. Uma vez indiquei a uma leitora a terapia do choro. 1 hora por dia você se permita chorar. E ela disse que a ajudou muito….sofria havia mais de um ano com cistite, encadeada pela morte de sua mãe. Faz parte. Nosso corpo é um templo mesmo, abençoado. Nos mostra tudo o que precisamos saber. Beijo com carinho

  3. Pingback: Emoções X Doenças e receitinhas 100% intuitivas | O Mundo é das Bem-Amadas

  4. Ola… li seu artigo e achei super interessante! Será que poderia me dar uma luz??!! – Não tenho nenhum problema físico, refiz todos os exames e estão todos ok, porem, não consigo segurar a urina …. de uma forma que está me irritando, pois vou ao banheiro normalmente, não sinto dor alguma, bebo mta agua, mas como a fase não está das melhores, imagino que tenha uma causa emocional escondida q deconheço. Se souber algo q possa me ajudar, agradeço imensamente!!

    • Angela,
      Primeiro obrigada pelo comentário. Não sei onde está mas busque ler Cristina Cairo e Louise Hay. Como disse no texto, a bexiga é onde guardamos a água do nosso corpo para “limpar e esvaziar”. Sendo este o princípio, eu leria que você está transbordando emoções. Transbordando choro. Chore! Encontre outros “canais” no seu corpo para esvaziar tudo que anda aí dentro. Encontre com sua dor emocional. Aceite-a e libere-a conscientemente. Se quiser, podemos falar mais por email. Me escreve para helenaverhagen@gmail.com grande beijo

  5. Boa noite, Helena!
    Ja li algumas coisas da Cristina Cairo, procurei exatamente sobre a infecção urinária na linguagem do corpo e encontrei seu site.
    Bem nesse momento, estou em tratamento de infecção e estou gestante o que me preocupa também, pois pode fazer mal ao bebê.
    No seu texto você fala de soltar, colocar pra fora e vejo que é bem isso que acontece comigo, sempre tenho problema urinario. Então eu devo sair por ai falando o que penso sobre as situações e as pessoas?!

    Obrigada e muita luz pra você!

    • Ghislane! Obrigada pela mensagem… você pode até sair por aí falando, mas antes disso, organize todas essas emoções e sentimentos dentro você. Olhe com o olhar de mãe, amor e carinho para tudo o que você pensa. Porque não é dizer para os outros que vai resolver. O que vai resolver é como você lida dentro de você com esses pensamentos e ideias. Escreva. Medite. Fale sozinha. Grave vídeos. Converse com o espelho, como se a outra pessoa estivesse lá. E acima de tudo,se observe e se acolhe em todo processo. Eu posso te dizer que acredito que há diversos tratamentos naturais, mas nada solucionará a raiz se você não se encarar profundamente. Um exemplo simples:
      Digamos que eu não gosto da cor preta (inconscientemente não gosto porque minha mãe morreu quando eu era pequena e foi levada em um carro preto). Aí, no meu trabalho, todo dia tem uma moça que vai de preto. Inconscientemente vou pegando birra da moça. Tudo o que ela faz, diz eu sou birrenta e detesto. Não adianta eu confrontá-la. O ponto é: eu devo meditar e dentro de mim entender que o que penso e sinto em relação à ela é apenas um reflexo do meu desgosto pela cor preta. Aí descubro que é a cor. E falo, nossa! Tudo bem, eu não gosto de preto, mas outros podem gostar. Aceito a existência no mundo da cor preta. Massss, eu só vou conseguir me curar 100% quando ir tão lá no meu fundo e encontrar a situação onde criei o padrão de pensamento de rejeição da cor preta. Sacou? Uma vez que encontro, é como um “feitiço desfeito”. Isso é um processo que você pode escolher encarar ou não. Se quiser se curar de verdade, tenha paciência e se acolha com o maior amor que você pode se dar.

      Espero ter te ajudado. Beijinhos

  6. Boa noite Helena! Seu site confirmou tudo aquilo que venho me questionando a algum tempo. Sempre tive infecção urinária desde os 15 anos, e hoje com 23 anos estou passando pelo ano mais turbulento da minha vida… último ano de uma faculdade de Direito, término de um relacionamento de 4 anos, reprovação no exame da OAB, novo emprego, novo relacionamento, dívidas financeiras e pendências que ficarão para o ano que vem, enfim… houve um turbilhão de acontecimentos, e só neste ano, essa semana passei pelo sexto episódio de infecção de urina!!! Já passei com o urologista, fiz ultrassom e nenhum resultado na bexiga, apenas uma possível pedra no rim, mas ainda não confirmada e pela explicação do médico, se realmebte for pedra no rim, não há relação com as infecções. Em resumo, creio sim que há uma tendência muito mais espiritual do que corpórea, inclusive comecei hoje jejum de alimentos para fortalecer o espírito e curar de uma vez por todas esse mal. Obrigada pela sua postagem e pelo incentivo a tratar primeiro da nossa alma, para que reflita de forma boa ao nosso corpo. Que. Deus continue te abençoando nas próximas publicações :)

    • Barbara! Que santo remédio sua intuição te levou: jejum! Ele tem transformado meu mundo! Sucesso aí e quando nos abrimos para uma explicaçnao e “cura do alé,” ela vêm mesmo até nós <3 beijooos e obrigada!

  7. Olá! Estou tendo sintomas de cistite a mais de um mês, porém nada aparece nos exames de imagem, de sangue e urina! Você acha que o desconforto pode acontecer psicologicamente mesmo sem ter nenhum agente físico causador? Grata!

      • Muito obrigada por responder! Sinceramente me surpreendeu tanto carinho! Já estou curando minhas emoções de medo que senti no decorrer do ano passado! Um medo irracional de perder as pessoas que amo! Li em alguns artigos que tem a ver com a bexiga… agora espero não ter causado em mim mesma um dano físico irreparável, pois fui diagnosticada com cistite intersticial! Tenho que vencer o pessimismo e acreditar na cura do corpo físico também! Obrigada por tudo!

        • Que bom, Bianca! Fico feliz com isso… no fundo, todos nós só precisamos de carinho, gentileza e amor, com estes ingredientes mágicos, a vida se torna fácil :) Nossos medos são mesmo irracionais, muito bem dito. Uma vez fui parar em uma psicóloga porque eu não aguentava mais viver com medo que meus pais morressem. Acabei curando, ainda mais quando a psicóloga me disse:
          – Só temos medo de perder quem amamos muito.
          Com esta frase, ela transformou meu monstro em um ratinho pequenino, risos! Mais do que vencer o pessimismo, confie em você, no seu corpo, na sua sabedoria, no seu poder interior que regenera suas células. Este poder é seu e de mais ninguém <3 Um ótimo ano para você…
          Com amor, HV

        • Boa noite Bianca. Também ando sofrendo com sintomas de infecção de urina há uns 40 dias, tomando antibióticos sem sucesso de recuperação. Estou com suspeita de cistite intersticial. Meu mal é ansiedade. Me condoí com seu email, pois também estou sofrendo da mesma dor. Gostaria que soubesse que você não está sozinha e acredito firmemente que bons pensamentos e otimismo são capazes de nos curar. Abraços…. E melhoras pra nós.

  8. Bom dia, Helena!
    Estava pesquisando sobre “cistite emocional” e encontrei seu post. Tenho um problema muito semelhante e preciso urgentemente encontrar uma solução, por isso, gostaria muito de falar com você sobre o assunto. Desde os 5 anos, tenho ataques que apresentam os mesmos sintomas da infecção urinária, porém nenhuma bactéria é encontrada na cultura. Nada fora do normal foi encontrado nos exames de ultrassom. A situação piora no período pré-msnstrual e durante a menstruação, em momentos de estresse, quando consumo alimentos ácidos/picantes e no dia seguinte a uma relação sexual. Sofro com isso ao menos uma vez por mês, dependo de Pyridium para conseguir tocar minha vida. Agora estou mal ininterruptamente há 5 dias. Eu não aguento mais tanto sofrimento, já pensei até em suicídio porque isso não é vida. Preciso desesperadamente de ajuda.

    • Querida Isabella, estarei te respondendo com mais cuidado por email. Obrigada pelo comentário e calma, que com amor curamos tudo. Fica tranquila, respira e se acalma que essa dor vai passar. Com amor, HV

      • Boa tarde Helena!
        Que bom que vi seu Post !!! Acredito que agora achei a causa do problema de cistite que tenho em pelo menos 3 vezes ao ano e isso me levou a suspeita da existência de Cistite emocional e vi que realmente existe e que provavelmente é o que sinto algumas vezes. Já passei por algumas situações bem incômodas de sair de madrugada às pressas para o hospital pois não aguentava de tanto ardor. Essa madrugada mesmo comecei a sentir o início dos sintomas…como ontem passei por um estresse, fez sentido o que eu estava sentindo. Quando pesquisei na net e vi seu post me senti aliviada e agora percebi que preciso cuidar mais das minhas emoções, até porque há mais ou menos 6 anos tive câncer de tireóide, e que este tipo de câncer também tem muito haver com as emoções. Hoje em dia o que procuro fazer de antemão quando os sintomas insistem em aparecer é tomar bastanteeee água e tentar relaxar.
        Gostaria de agradecer pelo seu depoimento e vou pesquisar mais também sobre Cristina Cairo e Louise Hay.

        • Karina, querida! Obrigada pelo comentário…. sim, nossa mente luta contra nossas emoções. As emoções não são lógicas, por isso precisamos aprender a drena-las mesmo. Todas as doenças tem origem nelas… e o nosso corpo é sábio demais, se ouvirmos ele, nos dá todas as coordenadas para nossa cura. Fiz cistite parte dois se quiser, dá uma olhadinha lá também. Volte sempre… estamos sempre descascando abacaxis emocionais por aqui 😀 Com amor.

  9. Pingback: Cistite: Emoções Inflamadas – Parte 2 | O Mundo é das Bem-Amadas

  10. Oi Helena, agora sao 5:20 da manhã acordei varias vezes e nao dormi direito parece que minha infeccao voltou, n sei, ta doendo quando urino! Ontem a noite meu namorado tentou terminar comigo e fiquei muito mal, pois n queria que isso acontecesse! Mas tarde comecei a pensa nas em 2 dps que tenho pra fazer da faculdade e horas complementares q preciso entregar urgente. Há meses n sentia mais essas dores, tomei remedios fortes e passou, e ontem a noite comecei a ficar com a bexiga pequena indo no banheiro tda hora, e aquela dorzinha antiga voltou. Agora 5 horas da manha levantei incomodada fui ao banheiro e que dor pra urinar, nem sei quantas vezes ja fui ao banheiro. Vim na internet procurar por algo achei seu site, nossa nao sabia disse que poderia o emocional fazer isso agr q estou sentindo. Me ajuda. Nao quero voltar de novo com essas dores tem algo que eu possl fazer em casa pra ajudar? Tomar alguma coisa nao sei? Sera que passa? Ou tenho que ir no medico novamente…

    Obrigada

  11. Oi, desde que vc postou esse texto, toda vez que fico mal acabo caindo aqui… e sempre me alivia. Me alivia por saber que não estou sozinha. Me sinto sozinha por varios motivos e com a cistite não é diferente pois dentro do meu convívio sou a única que tenho os sintomas várias vezes por ano e inclusive sofro com comentários chatos sobre isso, ninguém entende. Nem eu mesma entendo, mas uma coisa que eu sempre acreditei é que tem fundo emocional! Estou cansada de não encontrar um rumo na minha vida, estou no último ano da faculdade… um curso que não quero fazer, não quero seguir, está muito sofrido e entro em desespero de pensar que só termina no final do ano!!! Ja tranquei esse curso e tentei outras coisas e não me senti feliz em nenhuma, isso me frustra muito! E ter que encarar esse ano me assusta, me cansa, me chateia! Toma todo o meu tempo e eu não consigo me conformar, por mais que eu tente pensar positivamente…realmente muito frustrante e cansativo. Além de tudo não tenho a compreensão das pessoas. Me julgam de mimada e eu mesma não sei o que pensar. Não me sinto feliz fazendo o que faço e me esforço tanto para fazer tudo direitinho e quando recebo alguma crítica me sinto um lixo, incapaz, insuficiente…
    Também estou numa fase em que não sinto ter nenhuma amiga realmente verdadeira, ou alguma com quem me identifique! Não me sinto bem conversando com nenhuma sobre esse tipo de problema, elas não entendem, me julgam…
    Não sei por onde começar a pensar no motivo das minhs cistites, mas estou aqui as 02:11 procurando conforto! Mais uma vez… Bom, foi um desabafo. Obrigada por ter escrito esses textos, me faz sentir mais normal e ter um pouquinho de esperança

    • Fico feliz que sente um conforto Débora! É um processo só seu, é daí que tirará ainda uma grande força que não está vendo. Silencie mais sua mente e sinta mais o seu corpo e suas emoções. Obrigada pelo comentário. Com amor…

      • Nossa!!! Descreveu exatamente a minha fase na vida.
        Estou tão cansada. Dá vontade de fugir.
        Estou terminando a faculdade e amo, mas fico perdida com outros afazeres. No fundo, bem lá no fundo, eu sei o que tenho que fazer por mim… mas são tantas coisas pra enfrentarei paraliso. Sempre. E fico mal e aí tenho carinho. É
        Ciclo vicioso péssimo e mto forte.

        • Olá querida!!! Pois é! É assim mesmo, e olha que bom, só você tem o pode de mudar, 100% poder seu, de mais ninguém… coragem, carinho e muito amor, que você vai conseguir se curar e transformar este padrão. Com amor…

  12. Boa noite,
    Estou com a minha 18• infecção de urina.
    Perdida e desamparada.
    Não reconheço o que ou quem gera esses sentimentos em
    Em mim.
    Tenho problemas como todos, mas não
    Imagino que sejam sem solução.
    Nem sem sei por onde comecar.

  13. Agora são 4:40 h acabei de ler o artigo e todos os comentários. Senti uma seção de alívio e dúvida. Acabei descobrindo que o meu problema é, em suma, dificuldade de liberar perdão. Sou evangélico, sei o quanto isso é importante, mas não sei lidar com isso. Foi libertador ler todos os relatos. Agora reconhecendo o problema fica mais fácil procurar ajuda.

    • Marília querida! Obrigada pelo comentário. Fico muito feliz com suas palavras, e se quiser entender melhor sobre como me tratei naturalmente, confira meu livro no site da Editora Chiado. Há versões em e-book. Lá conto como alinhei ioga, meditação, alimentação e remédios naturais. Obrigada! Com amor…

  14. Bom dia eu estou com infecção urinária desde que engravidei e não quer sarar…
    já tomei diversos antibióticos..
    eu sempre tive antes de engravidar, porém, agora não quer sarar…

    não aguento mais tomar medicamentos

    • Querida Jô! Faz parte do aprendizado de muitas mulheres a cistite. Não se desespere. Não sei se você chegou a ler o texto parte 2, mas confie, só você tem sua cura. Se quiser se aprofundar ainda mais em curas naturais te convido a assistir este vídeo de uma Bem-Amada que atendi e relata sua experiência de cura: https://youtu.be/DTWjt0MCytk
      Se quiser conversar e ter um aconselhamento personalizado, me envie um email e fazemos uma sessão. Namastê! Com amor.

  15. eu amei, obrigada por escrever isso. Eu tive dos 2 aos 8 anos, e depois nunca mais… Eu tenho sempre após uma relação sexual com meu marido, diferente de você, meus exames não dão nada. Porém não consigo identificar como melhorar isso. Eu já tomei consciência que é emocional mas como faço agora?

    • Natália, bem vinda! Me manda um email (helenaceciliadefragaverhagen@gmail.com) contando isso que você esceveu nos comentários mas com mais detalhes, por favor? <3 te respondo em breve! Com amor!

  16. Descobri que tinha infecção urinária emocional há dez anos atrás. É uma luta lidar com os sentimentos para não maltratá-la!
    Tenho crises fortes de dores, enfim…
    O auto conhecimento está me ajudando bastante. Mas é cansativo tem hora. Entender a linguagem do nosso corpo, se desprender de sentimentos que costumamos ter… é uma arte difícil!
    Mas percebo que tenho sentido melhoras, somente alguns dias que a dor está mais aguda.
    Adorei o artigo. E através dele e dos comentários, vi que não estou sozinha nessa luta.
    Tenho um blog, está o link na inscrição deste comentário. Se quiser me visitar, será bem vinda!
    Bom fim de noite pra você.

  17. Ola linda!
    Senti um alívio muito grande ao ler o seu post! Eu Estava suspeitando que tenho infecinfecções urinárias devido o meu emocional, pois é só eu passar por algum momento conturbado, ela aparece!
    Estou sofrendo isso faz uns 3 anos seguidos, sempre tomo antibiótico, ela some e qualquer emoção fora do normal, ela volta falando oi!
    Sempre fui de guardar emoções e alguns anos atrás passei e passo por muitos problemas emocionais, infelizmente não encontrei nenhuma fora de aliviar isso! Até hoje não adquiri mais problemas e “paranoias” para ajudar!
    É muito triste pois pessoas julgam de forma errada esse problema, acaba transformando esse sofrimento em algo mais incômodo que o normal! Apesar que eu percebi que a minha carga emocional afeta diretamente o meu xixi, as pessoas em minha volta não acreditam e piora tudo!
    Você saberia me dizer se existe algo que pode ajudar esse processo para melhorar? Não aguento mais isso, é triste demais toda vez ir no banheiro e esse incômodo indesejável! Causa um desconforto geral!
    Preciso da sua ajuda!

    • Jéssica querida! Obrigada pelo comentário. Te aconselho a ler a Parte 2 que lá cito receitas práticas 😉 Autoconhecimento, meditação, silêncio, auto-amor, auto-compreensão, auto-conexão, isso tudo cura. Com amor <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>